Influenza A no Consultório Odontológico

ago 13, 2009   //   por Allegro Saúde Oral   //   Allegro  //  1 Comentário

h1n1_blog

Com o aumento de casos da gripe A, muitas dúvidas surgiram sobre como os cirurgiões dentistas e os pacientes odontológicos devem proceder para evitar a transmissão do vírus.

O Ministério da Saúde do Brasil vemm publicando sistematicamente importantes orientações para prevenir a transmissão do vírus H1N1 (gripe A) e o tratamento, tanto para o público e como para os trabalhadores da área de saúde.

Dentre as orientações para prevenir a transmissão destacam-se cobrir a boca e nariz ao espirrar ou tossir, lavar as mãos com frequência ou fazer a anti-sepsia com álcool gel, o uso de máscaras por pacientes com suspeita ou confirmação de infecção pelo H1N1 e de Equipamentos de Proteção Individual pelos profissionais diretamente envolvidos nos atendimentos destes pacientes. Entre estes EPIs destacam-se as máscaras cirúrgicas e luvas.

Os procedimentos operacionais padrão adotados pelos profissionais da odontologia em seus consultórios odontológicos visando o Controle de Infecção incluem o risco de transmissão de doenças transmitidas por patógenos transportados pelo ar. Ou seja: os materiais descartáveis e instrumental esterelizado, além dos procedimentos adotados pelo dentista, tais como uso de máscara e luva, já evitam a transmissào do vírus

As medidas de Controle de infecção para o consultório incluem:

  • Pacientes com infecção respiratória aguda devem ser identificados ao chegarem ao consultório e isolados em uma sala cuja porta deverá ser mantida fechada.
  • Deve-se oferecer máscara cirúrgica descartável ao paciente com tosse e lenços descartáveis para aqueles que estiverem espirrando. Disponibilizar lixeiras para descarte.
  • O paciente doente deve continuar usando a máscara cirúrgica ao sair da sala.
  • Os profissionais da equipe odontológica devem estar usando máscaras cirúrgicas descartáveis, luvas não estéries, avental e óculos de proteção para prevenir contato direto com a pele e exposição dos olhos e mucosas.
  • Paciente e profissionais da equipe odontológica devem higienizar as mãos com água e sabão e friccionar álcool gel ou outro antisséptico após contato com secreções respiratórias ou contato com objetos e materiais.
  • Os procedimentos operacionais padrão de limpeza, antissepsia, desinfecção e esterilização utilizados pelos estabelecimentos devem ser mantidos para a Gripe A (H1N1).

As principais dúvidas que surgem:

1. O que fazer se um paciente vem para um tratamento odontológico de rotina e apresenta sintomas de infecção respiratória aguda com ou sem febre?

Caso o cirurgião dentista suspeite que o quadro infeccioso que o paciente apresenta é de Gripe A (os sintomas relatados pelo paciente são febre, dor no corpo, coriza, dor de garganta, náusea, vômito ou diarréia) o tratamento odontológico de rotina ou eletivo deve ser adiado e o paciente deve ser orientado a procurar tratamento médico.

2. O que fazer se um paciente com sintomas de infecção respiratória aguda necessita de um atendimento odontológico de urgência?

O tratamento odontológico de urgência de um paciente com suspeita ou confirmação de infecção pelo H1N1 deve ser preferencialmente realizado em hospital com estrutura para procedimentos odontológicos que possibilite isolamento para prevenção de infecções por microorganismos transportados pelo ar (salas com pressão negativa de ar com possibilidade trocas do ar de 6 a 12 vezes por hora).

Os procedimentos odontológicos que geram aerosol devem ser realizados necessariamente em salas com pressão negativa de ar e os profissionais da equipe odontológica devem utilizar os respiradores com filtro N95, N99, N100, PFF2 ou PFF3, após terem sido orientados quanto ao seu uso e de realizarem o fit-test, de acordo com o Programa de Saúde Ocupacional da instituição.

3. O que fazer se algum dos profissionais da equipe odontológica está com sintomas de infecção respiratória aguda?

Os profissionais da equipe odontológica com sintomas de gripe (febre com tosse, dor de garganta, dores musculares) não devem se apresentar no local de trabalho. Devem procurar atendimento médico e seguir as orientações de isolamento domiciliar e medicação.

Estamos preocupados com o aumento de casos da Influenza A, e adotando todas as medidas para evitar contaminação, tanto dos pacientes quanto dos funcionários e dentistas. Nós, da Allegro Saúde Oral, continuamos adotando todos os procedimentos que sempre fizemos para preservar sua saúde e evitar a contaminaçào cruzada de qualquer doença e, agora mais ainda, da influenza A. Se houver qualquer dúvida, não hesite em nos procurar.

Um grande abraço

Dr Willian Jasse

1 Comentário

  • Dr Willian sempre preocupado com esterilização e desinfecção do consultório.
    Se todos adotarem esses cuidados, vamos eliminar a gripe e prevenir também muitas outras doenças.
    Parabéns