Brackets autoligados

Se você ainda não ouviu falar nesse termo, certamente ouvirá. As grandes companhias de material ortodôntico já lançaram suas versões de self-ligating braces, ou braquetes autoligados. Mas o que seria, exatamente, este tipo de aparelho ortodôntico?

Bom, aparelho ortodôntico autoligado é a denominação mais comum de aparelhos compostos por brackets que não necessitam de ligaduras elásticas ou metálicas para que o fio, ou arco ortodôntico, fique preso no interior dos slots. As peças possuem um dispositivo próprio, geralmente semi-automático, para prender o arco em seu interior. Complicou um pouco, não é mesmo? Então, acesse um dos links abaixo e veja como esse tipo de bracket funciona.

ORMCO – Damon System

Ortho Technology – Lotus

Strite – SPEED System

As referências para este tipo de aparelho são o Damon System, da ORMCO, e o In-Ovation, da GAC. Outros destaques são os aparelhos Time2, T3 e Vision LP, todos fabricados nos Estados Unidos pela American Orthodontics. O Lotus, da Ortho Technology, e o SPEED System, da Strite, também são boas opções. Porém, devido à política de comercialização praticada por suas empresas, dificilmente estes dois últimos são encontrados no Brasil

A sequência de fotos abaixo mostra um caso tratado com o Damon System, o sistema de aparelho autoligável da Ormco. As três linhas demonstram o estágio antes do tratamento, algum tempo após a instalação do Damon System e o resultado final. Este tratamento ocorreu em 14 meses e 2 semanas, e foram necessárias 7 consultas ao ortodontista.

Caso Damon System - InícioEstágio intermediárioFinal do tratamento

Caso tratado com Damon System, da Ormco: De cima para baixo, fotos pré-tratamento, durante o tratamento e após a remoção do aparelho. De acordo com o fabricante, o tratamento durou 14 meses e 2 semanas (7 consultas).

Os aparelhos autoligados são assim tão eficientes porque não necessitam de ligaduras elásticas ou metálicas. Isso diminui o atrito entre o fio e o bracket enormemente, permitindo a aplicação de forças super leves, o que é ideal para uma excelente movimentação ortodôntica, além de trazer mais conforto ao paciente. O mecanismo também diminui o número de consultas necessárias, uma vez que devemos deixar o aparelho “trabalhar” de forma mais contínua. As consultas também são mais rápidas, devido à facilidade em se trocar os fios.

[nggallery id=2]

A maior desvantagem ainda reside no custo, bem mais alto que os aparelhos convencionais. Uma indústria nacional, a Aditek, iniciou recentemente a fabricação deste tipo de aparelho, mas na nossa opinião, ainda é necessário mais estudos clínicos para avaliarmos sua eficiência. Mas já é um grande passo para que o custo diminua.

Embora seja mais caro, achamos que o investimento compensa, pelos benefícios que pode trazer. Se você tiver alguma dúvida ou curiosidade sobre esses aparelhos, não hesite em nos perguntar.

Cerâmica + autoligável

Empresas como a GAC e a Ormco lançaram brackets autoligáveis estéticos, combinando a cerâmica com clips de níquel-titânio. Obviamente, os clipes continuam aparecendo, mas com certeza são peças bem mais discretas que seus pares, construídos exclusivamente em metal. O clip do In-Ovation C (GAC) é revestido de Rodio, que o deixa mais discreto que o da ORMCO.

Bracket autoligável estético da GAC

Bracket autoligável estético da GAC

Damon System estético

Damon System estético

Brackets autoligáveis estéticos In-Ovation C (GAC) e Damon 3 (Ormco)